Segunda-feira, 3 de Abril de 2006

O Contrato de Primeiro Desemprego

Preconceitos esquerdistas aparte (que tenho e assumo), confesso que não consigo perceber o famoso "Contrato de Primeiro Emprego" que tanta batatada tem dado em França. É verdade que os jovens até aos 26 anos vão ter mais oportunidades. Mas há uma velha lei da natureza que diz (e, ao que tudo indica, continuará a dizer) que ninguém tem menos de 26 anos para sempre. O que quer dizer que o jovem empregado passa a saber com exactidão até que idade tem emprego garantido: precisamente, até ao 25 anos e 364 dias (ou 26, se inclusive). A partir daí, o patrão perde a capacidade de o despedir sem grandes aborrecimentos. É natural que o chefe vá ao mercado dos sub 26 recrutar o seu substituto. Ou seja, é de prever que em França se crie uma enorme bolsa de desempregados à beira dos 30 que, perante a concorrência dos mais novos, perdem poder para negociar contratos e salários decentes. Talvez convenha recordar que esta é a idade fértil. Talvez convenha recordar que a França, como o resto da Europa, envelhece. Gostava, sinceramente, que alguém me explicasse qual é a vantagem do CPE.
publicado por Proletário às 14:33
link do post | comentar

Pesquisar

coisos

Arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

blogs SAPO