Sexta-feira, 25 de Agosto de 2006

Ruy Charl's e Bigorne.

Dia 4 – 18 Agosto – Sexta-feira

Valença – Peso da Régua – Campo Benfeito – Carvalhal

Graças a uma partida da Joane fizemos um desvio de 80 Km seguidos de um percurso em ziguezagues pela EN 2, tudo isto para almoçar no Peso da Régua. Apressados pela hora tardia decidimos o restaurante com base no péssimo gosto do seu nome: "Ruy Charl's". Atendidos por uma bela saloia que a todos despertou apetite, pedimos Posta Mirandesa e demorámos na difícil tarefa de escolher o vinho. Entre a Quinta do Cotto a 30€, Quinta da Pacheca a 24€ ou uma pomada de 1991 completamente anónima, seguimos o conselho do amigo Salazar que manda produzir e poupar e tivemos uma bela surpresa. Uma vinhaça quase adulta que a todos saciou.
No parque de estacionamento ainda passámos por uma tentativa de acidente provocado do qual saímos ilesos e seguimos para Campo Benfeito, na Serra de Montemuro. Passado o Douro, entramos num planalto a cerca de 1000m onde parámos para fotografar e filmar a paisagem inóspita que se fazia acompanhar por negras nuvens, um forte vento e uma temperatura nada comum a este mês de Verão, cerca de 13º.
usámos adereços locais para tirar umas fotografias de grupo antes de 2/3 do mesmo dormir uma soneca no carro. Fomos ao hotel a 20Km de distância eSurpreendidos pelo Teatro local onde eu tinha uma tarefa fácil a cumprir, regressámos a horas de jantar. Felizmente tínhamos escolta porque para encontrar o restaurante reservado. Fizemos imensos Quilometros por meio da serra para chegar a um Restaurante do caralho, um restaurante que se não fosse do caralho ninguém lá ia, tão distante é do mundo em geral. Michas deleitou-se com Arroz de Enchidos com Feijão. Ainda pensaram que o Micha era da Amadora mas o incidente não causou estragos no fenómeno de grupo. O vinho era do Dão e recomenda-se, só não nos lembramos do nome. Voltámos pela negra serra de novo para o concerto no Teatro de Montemuro. Gostámos muito. Depois do concerto dos Orquestrinha do Terror o termómetro marcava 7º. À porta da tasca do local, bebiam-se copos como se estivessem 30º. Com o grupo alargado decidimos regressar ao hotel e levar mantimentos líquidos. Após uma negociação com o dono da tasca em relação à quantidade e ao vasilhame, seguimos de chinelame debaixo da geada com 15 garrafas de Super Bock. No Hotel aproveitámos um quarto que ficou vazio e aprendemos um jogo de dados denominado A5000 com os jovens da Amadora.. Joga-se com 5 dados numerados de 1 a 6. O Michas ganhou, prata pra mim e bronze para o Velhote. Acho que aprenderam a lição, e não voltarão a meter-se com a malta. Acabámos a madrugada a ouvir os galos queixarem-se do frio.
publicado por Manuel Padilha às 02:28
link do post | comentar

Pesquisar

coisos

Arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

blogs SAPO