Sexta-feira, 12 de Agosto de 2005

para não esmorecer o atletismo.

Eu sou daquelas pessoas que acreditam nos números que vê. Estatísticas, censos, sondagens, previsões e estimativas, vendas, lucros, PIB, prémio do euromilhões, índices, enfim. Não é que seja irremediavelmente crédulo, mas tenho para mim que quando se publica um número não é coisa que se tenha discutido numa refeição bem regada, na qual entre um brinde de partir copos e outro, alguém manda o número às gargalhadas. Acho que um número é sempre fruto de trabalho duro e complexo de uma quantidade enorme de gente seja ou não verdadeiro. Admito a fraude, mas estou convicto que é uma fraude sem ponta de desleixo. Já estes quatro mil milhões de espectadores por televisão dos Campeonatos do Mundo de Atletismo deixam-me sem saber que dizer. Na verdade deve ser questão de metodologia, problema meu, portanto. Mas (hoje não me apetece nada pôr links, peço desculpa) apercebi-me que a audiência televisiva nos jogos de Atenas foi dos mesmos quatro mil milhões. Para o próximo Mundial de Futebol prevê-se 3 biliões e meio de espectadores. (Juro que tive o cuidado de utilizar as mesmas fontes, é fácil de pesquisar). No Mundial de Futebol eu sei que uma pessoa que assista a 30 jogos vale por 30 pessoas e daí estes números. Mas no Mundial de atletismo não percebo. Não percebo! A ser pessoas por prova a coisa estava mais ou menos explicada mas assim que diria eu dos Jogos Olímpicos com três semanas e os mesmo quatro milhões?

Cheguei a pensar que iria trazer alguma luz sobre este assunto. Iludi-me mesmo nesse sentido, mas está visto que não. A preguiça impede-me de apresentar alguns cálculos, investigar quantos dias tem cada competição, quantas provas, etc. Depois apresentaria uns rácios, mais uns quantos dados oficiais e avançava com uma sugestão de possível metodologia. Mas nada. Limitei-me a partilhar com as pessoas esta minha angústia dos quatro mil milhões.

Devia ter-me ficado pelo rapaz das Bahamas do triplo salto, que tem algum azar que não vem de agora, nestes campeonatos; pela razão inversa, indutora do equilíbrio das coisas, que permitiu ao holandês ganhar o salto com vara; pela outra que caiu na ultima barreira na final dos 100m barreiras ou ainda; pelo tropeção do Rui Silva quando já estava a fazer o que ele faz nestas provas de 1500m. Isto é, fazia um post de fait-divèrs igualmente, mas sem se notar tanto o fracasso.
publicado por Sérgio às 08:52
link do post | comentar

Pesquisar

coisos

Arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

blogs SAPO