Segunda-feira, 14 de Março de 2005

Famosa literatura a nossa

Eu sou um daqueles cinco milhões de portugueses que gostava de escrever um livro. É verdade, assumo aqui publicamente que um dia gostava de ver uma resma de folhas cosidas com o meu nome na capa. Mas aguardo serenamente que a providência me ponha à disposição uma boa história para contar. Nesse aspecto sou paciente - não me importo de esperar 50 anos se for preciso.
Mas há outra dificuldade nisto de querer entrar no mundo das letras. É que nasci no país errado. Estive ontem numa livraria e confirmei o que já suspeitava. Não há gato pingado que não tenha um romance na banca, ou, pelo menos uma compilação de crónicas de imprensa para apresentar. Jornalistas, gajos que aparecem na televisão, políticos, candidatos a ser qualquer coisa na vida, todos têm capa de design cuidado e fotografia a preto e branco na contracapa.
E, claro, há sempre o prefácio. Lemos invariavelmente que está tudo muito bem escrito, que o "jovem autor" é sempre uma revelação, que a história "aborda os problemas da nossa sociedade sem deixar de lado temas incómodos como a droga e o sexo". Enfim, loas de amigalhaços a quem se paga umas massas para mentir.
Gostava que houvesse honestidade nestas coisas. Que o prefácio fosse isento, com frases do género : "a ideia não era má mas está mal escrito", ou a "a ideia inicial era uma merda mas a escrita consegue piorá-la", ou mesmo, cúmulo da honestidade, "a cara do gajo vem na TV e é o único argumento que temos para apresentar isto encadernado". É que, no meio de tanto lodo, há-de haver quem escreva bem. Mas passa despercebido nesta fogueira de vaidades iliterárias.
O meu livro pode esperar. E até pode não vir. A continência é quase sempre boa atitude.
publicado por Proletário às 17:57
link do post | comentar

Pesquisar

coisos

Arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

blogs SAPO