Segunda-feira, 9 de Maio de 2005

Em cada leão há um cabrão

Não sei se é este o tipo de "discussão absurda" que "leva a esquecer a racionalidade" que o senhor proletário pretendia, mas eis a minha modesta contribuição para uma salutar discussão que, desconfio, não terá término com esta minha posta. Afinal, todos sabemos como esse indivíduo afina quando se metem com ele...

Continuemos então com a inevitável análise à posta desse senhor: começa então a dizer que eu "rejubilo com a Académica", mas lá para o fim escreve que ser adepto da Briosa "não entusiasma ninguém". Então em que ficamos? Haja coerência, meus senhores!

Diz também que "gente que gosta de futebol tem clubes a sério. Daqueles que discutem competições". Ora partindo pela "piadola fácil", que idade tinha o senhor quando começou a ver o seu Sporting a ganhar campeonatos? Descontando aquela vez em que devia andar mais preocupado em aprender a usar o penico, obviamente.

"Quem é que vai discutir as andanças de uns tipos de Coimbra?" Ora, meu caro, quem gosta de ver e discutir futebol, como é óbvio. Obviamente que quem não gosta de futebol, mas sim de uma equipa, é cego aos encantos dos outros. Veja lá que eu até consegui vibrar tanto com a vitória do "seu" Sporting como o senhor na passada quinta-feira, como teve o prazer de testemunhar. Algo que aparentemente o meu distinto colega é incapaz de fazer.

Para terminar, quero dizer-lhe (como se não o soubesse já) que não faço "parte desse naipe interminável dos que têm uma grande simpatia pelo clube dos estudantes". Para começar, os meus parabéns por, masi uma vez, ter fugido ao lugar-comum de chamar à Académica o "clube dos estudantes". Se o senhor fizesse crónicas desportivas utilizaria também o mítico "os estudantes passaram no exame". Não faço parte dos que têm "simpatia" porque a Briosa é o meu clube. Não há cá merdas de "é o meu segundo clube", "se eu não fosse do Benfica era da Académica" ou "gostava que ganhassem todos os jogos menos ao Sporting". Isso é para fracos. Isso é para, como bem dizer, se quer pôr "a salvo de qualquer polémica". Não pode, nem deve, ser confundido com um adepto de um clube. É verdade que diz que podem ser adeptos "os nativos e pouco mais". Eu, que não sou "nativo", devo fazer parte dos "poucos mais". E o senhor, de onde vem para ser sportinguista? Daqui a pouco vem para aí dizer que nasceu e viveu sempre na Avenida da Igreja, não?

Uma coisa o senhor nunca há-de viver: a alegria que existe em simplesmente empatar um jogo contra o Beira-Mar porque fez terminar uma época turbulenta. Para um adepto de um dito "grande", existe apenas a frustração: ou porque o seu clube não ganha, ou porque ganhando não goleou, ou porque goleando não jogou de modo excelente. Para um adepto de qualquer outro clube, a derrota é o mais provável. Assim, cada empate é já bem bom, e cada vitória uma festa. Se por acaso for contra o seu clube, bom... esse sentimento nunca o conhecerá.
publicado por Comboio Azul às 19:00
link do post | comentar

Pesquisar

coisos

Arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

blogs SAPO