Sexta-feira, 30 de Junho de 2006

Rui-Cooooooosta!

Vi o último jogo de Portugal com Inglaterra em casa do Comboio Azul com mais umas dez pessoas, à volta de uma mesa de jantar, numa televisão de 30 cms. Tudo muito anos oitenta, mobília incluída. O jogo foi o que se sabe, e foi-o de tal modo que foi o suficiente para pôr gente que diz odiar futebol a gritar 'nãos' desesperados quando Inglaterra marcou o golo do empate, ou para transformar a cozinha em capela, para os mais crentes.

Definitivamente Portugal não deve ter muitos amigos entre as equipas que tem eliminado. Nunca ganhamos simplesmente, com um jogo normal e concludente. Não, terá sempre que ser com prolongamentos mirabolantes como este, jogos violentos como com a Holanda, por seis de diferença à Rússia (não foi este jogo que os eliminou do apuramento, mas provavelmente lembram-se bem dele, os russos), por três, com os suplentes, à Alemanha. Deixámos de perder com espectáculo, como fazíamos dantes, e isso parece-me muito avisado. Perdemos aborrecidamente, entediamos o público, fazemos com que o jogo se esqueça rápido. É ver 2002 (apesar do murro) e o jogo com a Grécia (é muito prático ter uma História tão curta de competições).

A Inglaterra então, que a última vez que nos ganhou a contar deve ter sido para aí em 1966 deve estar perdidinha por nos dar uns cinco. Ninguém lhes manda insistir em marcar primeiro como têm feito, mas o ultimo jogo terá sido abusar das pessoas. Recuperar o um-zero depois dos oitenta. Anular um golo marcado numa recarga de uma bola que foi à barra depois dos noventa. Obrigá-los a marcar um golo no prolongamento. E meter o guarda-redes a marcar o penalty da vitória. Enfim, parece-me de quem não quer fazer amigos.

Isto começou tudo porque eu queria mencionar o Rui Costa que às vezes parece-me menos mencionado do que devia ser na selecção. O jogo com Inglaterra foi um último suspiro que não fica atrás do que o Zidane faz agora (o suspiro), mas que vem de um jogador que estava, e bem, sentado no banco. Quando o Rui Costa marcou golos na selecção eu fiquei sempre muito satisfeito. Porque, enfim, o Rui Costa ria com um ar de quem fez bem às pessoas (não é o sorriso-parede do Cristiano Ronaldo que esse nem sabe porque é que está a rir, não me lixem). O sorriso do Maniche também dá para deixar a gente bem disposta, vá. Assim de repente, para além da utilidade que a presença do Rui Costa teria sempre em campo mesmo nem tocando na bola, lembro-me do golo contra Inglaterra no prolongamento e de um passe no jogo com a Rússia para golo do Ronaldo. Tudo sempre direitinho. Muito direitinho joga o Rui Costa.

Pronto, bom fim-de-semana, vamos lá ver amanhã. Eu acho que há gente que nunca mais nos ganha, mas acho que vamos apanhar uns ingleses muito ressabiados. Era conveniente ganhar-lhes por uns três sequinhos
publicado por Sérgio às 16:38
link do post | comentar | ver comentários (1)

Textos que daríamos a ler a William Shatner #10

Spider-man, Spider-man, does whatever a spider can. Spins a web, any size, catches theives just like flies. Look out! Here comes the Spider-man... Is he strong, listen bud, he's got radioactive blood. Can he swing from a thread, take a look over head. Hey there! There goes the Spider-man...

In the chill of night, at the scene of a crime, like a stream of light, he arrives just in time.

Spider-man, Spider-man, friendly neighborhood Spider-man. Welcome him, he's ignored, action is his reward. To him, life is a great big bang-up, wherever there's a hang-up you'll find the Spider-man


Isto porque esse grande movimento que três muito bons amigos (Maria das Flores, Batukada e este vosso), a um fim de tarde numa mesa de café que não dispunha de happy-hour, o que no entanto não nos impediu de emborcar comedidamente algumas imperiais enquanto preparávamos isto que vos apresentamos, engendraram não pretende morrer tão cedo. Inclusivé pretende mesmo ser concluido e consiste no que vocês já sabem há tanto, isto é, acabar de vez com o mundo de gente sobrevalorizada que para aí anda e que, em boa verdade, não são só a Scarlett Johansson, nem os Arcade Fire, nem o João Pereira (coitado), nem os Keane, nem os anos oitenta, nem a Diane Krall, nem o pudinzinho flã caseiro, nem o Sun Ra, nem o ruibarbo (referência britânica), nem o Glenn Miller, nem os Arctic Monkeys, nem a Dra. Uhlenbroek (referência britânica), nem o free jazz, nem o recorde de maior número de golos marcados na selecção portuguesa detido pelo Pedro Pauleta e nem o Nuno Galopim, mas também. E feito isto passar ao corolário habitual. A haver alguém, se tiver mesmo que por alguma razão sobrevalorizar alguém, por favor sobrevalorize unica e exclusivamente o sempre grande William Shatner.
publicado por Sérgio às 11:55
link do post | comentar
Quarta-feira, 28 de Junho de 2006

Da Vaidade

Valdano descreve o segundo golo do Maradona contra Inglaterra em 1986. A parte a bold fui eu que sublinhei e é de elementar e justificadíssima vaidade.

I was accompanying him level with the far post as if I were a television camera tracking him. Diego assures me that he meant to pass to me several times but there was always some obstacle that forced him to change plans. Just as well. I was dazzled and I thought it was impossible (it still seems that way to me) that in the middle of all those problems he would have had me in mind.

O artigo descobri-o através do Avatares de um Desejo
publicado por Sérgio às 16:03
link do post | comentar

Todo e Partes

As partes e o todo são instrumentos muito confortáveis para analisar praticamente tudo, e no futebol então poder-se-ia fazer capas de jornais desportivos durante anos. Penso que somos neste momento uma equipa com um todo bastante melhor que as partes, e ainda que isso custe um pouco, o fenómeno deve-se exclusivamente ao Scolari. Passámos uma História inteira com grandes jogadores que passavam ao lado de carreiras ainda maiores, mas pela primeira vez cá estamos nós, com apuramentos certinhos, bons campeonatos, sobretudo fazendo o que se pode, o que não é nada mau. É provável que o Scolari seja o melhor treinador para Mundiais e Europeus que alguma vez existiu, temo bem, melhor que o Mourinho, embora isso só se venha a provar daqui por uns anos. Curiosamente, se há pessoa que fale das vantagens do todo em relação às partes é precisamente o Mourinho, que ainda hoje deve estar a remoer como raio consegue o Scolari tanto com tão pouco aparente trabalho.

Equipas há, claro, que nem partes nem todo (Angola, Trinidad, toda a Ásia), outras com um todo bastante razoável (nós, Espanha, Holanda), outras com óptimas partes e nenhum todo (Brasil, Inglaterra, França) e outras como a Argentina, que ainda não sei. Partes e Todo num só, lembro-me assim de repente da França de 98 e provavelmente o Brasil de 70, de 82. Ganhar exclusivamente com partes parece-me extremamente difícil (embora a Argentina em 86 tenha ganho com apenas uma parte), e é por isso que estou até bastante confiante para o jogo com a Inglaterra, porque sendo verdade que Inglaterra tem melhores jogadores que em 2004 e nós piores, parece-me ser o cabo dos trabalhos ganhar a esta equipa de Portugal. Por outro lado, penso que o melhor que podia acontecer a este mundial era o Brasil e Portugal se encontrarem algures. É que até aqui ainda ninguém obrigou Portugal a jogar futebol (sim, nós agora sabemos o que é preciso fazer para ganhar jogos sem precisar de jogar demasiado). Aliás, penso que todas as equipas europeias foram por aí este ano (o Brasil desde 94 que é uma equipa europeia), e ainda bem, porque estão uns quartos-de-final muito jeitosinhos, sobretudo se comparados com os de 2002 que metiam dó.

A Itália, essa, viu-se destronada no cinismo e portanto foi obrigada a ir a níveis nunca antes vistos, continuando-se a assumir como a equipa mais filha-da-puta do mundo (é mentira, que a Itália até tem atacado bastante, e ninguém tem culpa de ter uma defesa difícil, e porque um gamanço que acontece no último minuto não é gamanço mais grave que um que aconteça ao dez, vamos lá deixá-los em paz). Resumindo, lamento muito que os campeonatos estejam mais calculistas, que deixe de haver tantas surpresas, que o todo seja tão importante e tudo, mas o futebol agora é assim e se querem 32 equipas e o mundo inteiro a participar, têm que se sujeitar a que as equipas mais maltratadas ao longo de épocas com campeonatos de 20 equipas e ligas dos campeões e apuramentos de selecções gigantescos, se tornem mais cínicas e menos espectaculares. E por isso é que estão nos quartos (tirando uma ou outra que ainda podiam estar) as melhores equipas do Mundial.
publicado por Sérgio às 11:55
link do post | comentar
Quarta-feira, 21 de Junho de 2006

Como apoiar a selecção bebendo Coca-Cola


Consciente que o meu destino é controlado por um qualquer dEUS louco e irónico, vi-me uma vez mais numa situação completamente nova para mim.
A água suja do capitalismo resolveu premiar 160 portugueses com uma viagem ao jogo de hoje do mundial e muito recentemente dei por mim envolvido nesse projecto. Não posso deixar de partilhar convosco como foi estranha para mim esta experiência que junta a Coca-Cola (bebida que apenas bebo em ressacas de extrema dor) e o Futebol (nem vale a pena acrescentar nada).
Na passada segunda-feira à tarde, partimos num autocarro para o Porto. A comitiva incluía, produtores, actores, animadores, seguranças, hospedeiras, percussionistas, equipa de filmagens, publicitários, etc... Chegámos ao Porto às 23h e fomos jantar francesinhas para a seguir ir dormir e acordar às 5 da manhã. Uma bela ideia. Ninguém conseguiu dormir antes das 3 e passadas umas horas estávamos todos de pé, com a barriga inchada e olhos remelados. O programa previa que um comboio exclusivo da Coca Cola, percorresse Portugal para levar os felizes premiados até ao Aeroporto de Faro, de onde voariam para a Alemanha. Chegados ao comboio começámos a preparar tudo para a viagem e actividades. O comboio era composto por 6 carruagens: 4 carruagens de passageiros, uma carruagem "Lounge" com actividades constantes que iam das massagens e workshops de percussão aos campeonatos de Playstation e uma carruagem VIP. Nas carruagens existia ainda uma mesa com um Buffet permanente.
Pelas 8 da manhã os premiados começara a chegar e as surpresas também. Ex-presidiários eram mais de vinte, todos desdentados e com a tal marca na mão esquerda. Felizmente a equipa de segurança era profissional e musculosa. As hospedeiras, meninas quase despidas entre os 19 e 22 anos, mal se podiam mexer e passaram por momentos constrangedores. Alguns dos premiados apresentavam-se bêbedos às 9 da manhã e mal o comboio partiu desataram a vomitar por toda a parte. Uma festa. Duas massagistas cervicais passaram também por alguns maus bocados fáceis de imaginar. Os workshops de percussão não correram assim tão mal já que nenhum participante revoltado conseguiu rebentar com nenhum instrumento. Mas tentaram.
Depois havia os VIPs, uma cambada de meninos prodígio e meninas que se despiram para umas revistas menos católicas. Mimados como cães de raça, mandavam vir com tudo e nada estava à sua vontade. Sorriam apenas quando uma câmera de vídeo ou fotografia apontava para eles.
As paragens foram curtas em Aveiro, Coimbra e Funcheira. Em Lisboa estivemos 30 minutos para entrarem mais 100 passageiros e promover a coisa na comunicação social. Depois do almoço a equipa que tinha partido no dia anterior estava de rastos, ainda assim aguentou muito bem uma tarde com 160 malucos perigosos à solta em 6 carruagens. O momento mais perigoso foi quando meia duzia de VIP's decidem ir fazer o workshop de percussão sem se terem inscrito. Os inscritos ficaram sem instrumentos e começaram a mandar vir com razão. Depois os mimadinhos VIP's começaram a dizer que não queriam percussão Latina mas sim Africana e ouviram um não pela primeira vez na vida. As meninas modelos iam chorando e até fizeram beicinho. De nada lhes serviu, afinal confirma-se que ficam melhor nuas nas revistas que vestidas ao vivo. Entretanto posso também informar-vos que o Boss AC não conseguiu fazer um ritmo simples e que o Virgul não parava de cantar "Olá Nina, quero cuidar de ti...", em qualquer que fosse o ritmo.
Chegámos a Faro às 18h. O cansaço parecia que tinha drogado toda a gente. Na viagem de regresso a Lisboa toda a gente adormeceu durante uma hora e a seguir e espertina aparvalhou toda a gente. Chegámos a Lisboa às 22h com 1300 Km feitos em pouco mais que 24 horas. Os premiados lá foram para a Alemanha às 4 da manhã e regressam logo a seguir ao jogo. Acredito que alguns dos ex-presidiários não conseguirão regressar face à rigidez dos horários e à dureza das condições. Antes a solitária que um prémio da Coca-Cola.
publicado por Manuel Padilha às 14:25
link do post | comentar
Quarta-feira, 14 de Junho de 2006

20 anos

Hoje faz 20 anos que morreu Jorge Luis Borges. Morria precisamente durante o mais glorioso Mundial da Argentina, muito embora não me queira parecer que este facto lhe causasse grande emoção. Das poucas vezes que o ouvi mencionar o futebol foi sempre com desinteresse ou desdém, e na verdade nada digno de registo. Numa entrevista, por exemplo, dizia do futebol "Me parece una forma del tedio. Además al argentino no le gusta al fútbol. Le gusta ver ganar tal o cual cuadro". Argumento simples e gasto, mas ao Borges tudo se perdoa, como surgia no título desta entrevista.

Tenho no entanto enorme curiosidade de saber o que pensaria Borges do Maradona, isto se de facto nada escreveu ou disse sobre ele. Resistiria o seu argumento do futebol ideal, extra-clubístico, extra-nacional ao golo com a mão contra Inglaterra, pelo jogador que talvez menos necessidade tivesse de se recorrer de batota? E ao seu trágico e romântico percurso?

Na verdade, e infelizmente para a minha imaginação, acredito que para Borges o Ronaldinho Gaúcho tivesse mais valor do que qualquer outro jogador. O Ronaldinho só existe pelo futebol que lhe vemos, não existe por ser mulherengo, nem por faltar a treinos, nem por ter problemas com drogas, nem por ser subversivo, nem por ter tido uma infência pobre. É pura estética em campo e só existe em campo. Não me parece que Borges resistisse a tanta objectividade.

Felizmente para Borges tão cedo não voltará um aniversário redondo a calhar em ano de Mundial e estará livre destas arrepiantes associações, mas não resisti. Em 1978, à hora da estreia da Argentina no Mundial de que era anfitriã, resolve dar uma rara conferência de imprensa sobre o tema A Imortalidade. É uma história que me custou a confirmar e até encontrar, tais são as versões. Esta tirei-a daqui mas outras há em que a conferência seria no dia da final, seria uma aula, etc. O que interessa é que a relação com o futebol lá estava, nem que fosse para aborrecer as pessoas.
publicado por Sérgio às 13:28
link do post | comentar
Terça-feira, 13 de Junho de 2006

Parvoíces à americana

Reparem na lista de perguntas a que é preciso responder para se ter visto de entrada nos EUA:
* Have you ever been arrested or convicted for any offense or crime, even though subject of a pardon, amnesty or other similar legal action? Have you ever unlawfully distributed or sold a controlled substance(drug), or been a prostitute or procurer for prostitutes?

* Have you ever been refused admission to the U.S., or been the subject of a deportation hearing or sought to obtain or assist others to obtain a visa, entry into the U.S., or any other U.S. immigration benefit by fraud or willful misrepresentation or other unlawful means? Have you attended a U.S. public elementary school on student (F) status or a public secondary school after November 30, 1996 without reimbursing the school?

* Do you seek to enter the United States to engage in export control violations, subversive or terrorist activities, or any other unlawful purpose? Are you a member or representative of a terrorist organization as currently designated by the U.S. Secretary of State? Have you ever participated in persecutions directed by the Nazi government of Germany; or have you ever participated in genocide?

* Have you ever violated the terms of a U.S. visa, or been unlawfully present in, or deported from, the United States?

* Have you ever withheld custody of a U.S. citizen child outside the United States from a person granted legal custody by a U.S. court, voted in the United States in violation of any law or regulation, or renounced U.S. citizenship for the purpose of avoiding taxation?


* Have you ever been afflicted with a communicable disease of public health significance or a dangerous physical or mental disorder, or ever been a drug abuser or addict?

While a YES answer does not automatically signify ineligibility for a visa, if you answered YES you may be required to personally appear before a consular officer.

Não admira que o Laden continue à solta...
publicado por Proletário às 15:44
link do post | comentar | ver comentários (2)
Sábado, 10 de Junho de 2006

Factos acerca de Chuck Norris

No tempo livre que tenho enquanto finjo que trabalho deparo-me, por vezes, com situações curiosas. Esta que vos dou a conhecer é uma delas.

Aparentemente, existe um grande movimento na "internet" que consiste em inventar e compilar factos acerca de Chuck Norris, vedeta dos videoclubes nos anos 80 e das televisões generalistas por volta dos 90 (e ainda uma das vítimas preferidas de Conan O'Brien e a sua "alavanca do Walker, Texas Ranger"), segundo os quais ele é autor de proezas julgadas impossíveis ao comum dos mortais, frequentemente desafiando a lógica ou as leis da Ciência. Maravilhosamente absurdo. Eis um dos mais populares sites e a página da Wikipédia referente ao movimento.

E, já agora, aqui ficam algumas das pérolas:

- Chuck Norris’ tears cure cancer. Too bad he has never cried.

- Rather than being birthed like a normal child, Chuck Norris instead decided to punch his way out of his mother’s womb. Shortly thereafter he grew a beard.

- Chuck Norris recently had the idea to sell his urine as a canned beverage. We know this beverage as Red Bull.

- Chuck Norris built a time machine and went back in time to stop the JFK assassination. As Oswald shot, Chuck met all three bullets with his beard, deflecting them. JFK’s head exploded out of sheer amazement.

- Chuck Norris sold his soul to the devil for his rugged good looks and unparalleled martial arts ability. Shortly after the transaction was finalized, Chuck roundhouse kicked the devil in the face and took his soul back. The devil, who appreciates irony, couldn’t stay mad and admitted he should have seen it coming. They now play poker every second Wednesday of the month.

- To prove it isn’t that big of a deal to beat cancer. Chuck Norris smoked 15 cartons of cigarettes a day for 2 years and aquired 7 different kinds of cancer only to rid them from his body by flexing for 30 minutes. Beat that, Lance Armstrong.

- Chuck Norris was the fourth Wiseman. He brought baby Jesus the gift of “beard”. Jesus wore it proudly to his dying day. The other Wisemen, jealous of Jesus’ obvious gift favoritism, used their combined influence to have Chuck omitted from the Bible. Shortly after all three died of roundhouse kick related deaths.

- When Chuck Norris’s wife burned the turkey one Thanksgiving, Chuck said, “Don’t worry about it honey,” and went into his backyard. He came back five minutes later with a live turkey, ate it whole, and when he threw it up a few seconds later it was fully cooked and came with cranberry sauce. When his wife asked him how he had done it, he gave her a roundhouse kick to the face and said, “Never question Chuck Norris.”

- Chuck Norris does not sleep. He waits.

- Before each filming of Walker: Texas Ranger, Chuck Norris is injected with five times the lethal dose of elephant tranquilzer. This is, of course, to limit his strength and mobility, in an attempt to lower the fatality rate of the actors he fights.

- Chuck Norris took my virginity, and he will sure as hell take yours. If you’re thinking to yourself, “That’s impossible, I already lost my virginity”, then you are dead wrong.

- If you can see Chuck Norris, he can see you. If you can’t see Chuck Norris you may be only seconds away from death.

- Chuck Norris ruins the endings of Harry Potter books for children who just bought one for the hell of it. When they start crying Chuck Norris calmly says, “I’ll give you something to cry about,” and roundhouse kicks them in the face.
publicado por Comboio Azul às 04:13
link do post | comentar

Nem só de Mundial vive o futebol por estes dias...

Parece que também há uma Liga Portuguesa na qual irá participar um clube por decisão de um filho de um seu vice-presidente.

Eu posso não ser jurista e até perceber pouco dos meandros da Justiça, mas quer-me parecer que neste caso há uma flagrante falta de clareza. Mas o que mais me irrita no meio desta história é andar a passar despercebida no meio de reportagens sobre a música que o Figo ouve ou em que consiste o pequeno-almoço dos nossos futuros campeões, mas se esta história envolvesse qualquer um entre certos três clubes nacionais abriam-se telejornais e faziam-se capas todos os dias durante semanas.

Esta história traz-me à memória tristes lembranças com quase vinte anos...
publicado por Comboio Azul às 03:15
link do post | comentar

Parem as rotativas!!!

A coisa chegou às dez mil visitas, repito, a coisa chegou às dez mil visitas. Quase o triplo desta casa. O que é que andamos aqui a fazer?
publicado por Proletário às 01:42
link do post | comentar | ver comentários (1)

Pesquisar

coisos

Arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

blogs SAPO