Sábado, 30 de Abril de 2005

De volta ao modo Vogal de Direcção da casa do Benfica de Liège oriundo de Tavarede, povoado do inter



Este pode ser um ano desportivo em grande para este blog. Para começar, a Naval 1º de Maio, em véspera de aniversário, sobe à Primeira Liga Nacional. Olé! Vou então ali festejar esta e volto já para o resto da época.
publicado por Sérgio às 19:21
link do post | comentar
Sexta-feira, 29 de Abril de 2005

Às vezes é preciso um pouco de descaramento

Peço imensa desculpa pela imodéstia, falta de escrúpulos, pelo afoito excessivo que a acção indicia. Mas porra, já que o gajo lá pôs o contador, vamos lá a ver se a coisa (que ainda dá algum trabalhinho a manter) passa dos 50 antes do Verão. Não volto a falar do assunto.
publicado por Proletário às 15:38
link do post | comentar
Quinta-feira, 28 de Abril de 2005

De um projecto paralelo que sobreviveu ao outro e passou a projecto sem paralelo

Image hosted by Photobucket.com



A fechar uma brilhante e mui aclamada tour que percorreu praticamente todo o território nacional futuramente coberto por TGV, teremos finalmente em Lisboa os valorosos Cabinedesom, sensivelmente após a meia-noite de Sábado para Domingo próximos, na galeria ZDB.

E agora, que estamos de volta à elevação intelectual habitual, sigamos adiante.
publicado por Sérgio às 15:07
link do post | comentar

Regicídio

Já não é de agora que acordo e faço a minha representação de morto-vivo durante os vinte, trinta minutos antes de sair de casa a ver aquele programa de notícias da RTP, cujo nome pode perfeitamente já ter mudado, mas que é possível que ainda se chame Bom Dia Portugal (os meus parabéns à pessoa que escolheu este nome e ao seu superior). São várias as vantagens mas lembro-me sempre de três. As notícias voltam ao princípio de quatro em quatro minutos, estou certo que no sentido de haver uma melhor assimilação dos conteúdos, a uma hora que não é fácil para ninguém. Vê-se as capas dos jornais, para mim serviço público do bom desde que deixei de passar por qualquer banca de jornais antes de ir para o trabalho. E, por fim, quando finalmente acordo (onze, onze e meia), nunca sei bem que notícias ouvi realmente e com quais sonhei, o que torna muito mais empolgante ir ler jornais depois de desperto. Não tinha planos de ter uma introdução tão longa, até porque não vim aqui falar bem da RTP, antes pelo contrário. Hoje ouvi no dito programa que, a partir de agora, há nova legislação que regula a Comercialização do Bacalhau e espécies afins, salgados verdes e secos. Aconselho a leitura, pelo menos, da nota de imprensa do ministério, onde se fica a saber que o bacalhau da Gronelândia é bacalhau mas o bacalhau do Ártico é uma espécie afim. Continuo é a disparatar, vamos lá ao essencial. Resumindo e, provavelmente até, aldrabando um pouco a lei (lá atrás disse que estava a disparatar mas é mesmo verdade que o bacalhau da Gronelândia é bacalhau e o bacalhau do Ártico é espécie afim), posso dizer que o bacalhau seco e semi-seco cortado deve estar acondicionado a 7ºC, sendo que só o inteiro seco e salgado pode estar à temperatura ambiente. Acrescento ainda que línguas, badanas, bochechas têm que estar obrigatoriamente embaladas. Pá, por mim, baril, até aqui tudo bem. A RTP (que ainda assim conseguiu não fazer disto um circo tão grande como eu já estou a fazer) tendo que fazer uma peça na rua decide ir onde? À Rua da Arsenal. Tau! É que já imagino o infeliz que propôs esta reportagem a esfregar as mãos com a grande ideia que teve. De génio, realmente. Achei desonesto, com um raio. São casas que nos merecem respeito reverencial, que toda a gente sabe onde ficam, assistiram a mudanças de regime violentas, algumas já lá estão ainda não havia eléctricos. Já basta um cheiro de mudar de passeio, não precisavam disto no primeiro dia da entrada em vigor da lei. De qualquer modo, parece que estavam preparados. Nem línguas, nem bochechas, nem badanas, nem mesmo caras que «podem ser comercializadas não pré embaladas, desde que seja assegurado que o consumidor não manuseia o produto». Havia isso sim, atum demolhado e salgado, e linguas, bochechas, badanas de atum à temperatura ambiente. Mas bacalhau, só inteiro, pendurado, com classe. E o senhor da loja até bastante pouco chateado com a coisa. "Tenho que pôr aqui uma vitrine em vez desta banca de mármore" e assim, e parecia tudo bem. Sem dramas. Gente do peixe seco e demolhado é gente serena, pareceu-me.
publicado por Sérgio às 10:03
link do post | comentar

O suplente entra em campo

Meu caro Le Fante: Não seria melhor convidar o estimado Gil Eanes a juntar-se a esta casa? Ou vai ficar com essa arma no banco de suplentes sempre que precisar de argumentos para defender o seu Benfiquinha? Esse seu discípulo alinha também no discurso dos "proletários benfiquistas", que lutam contra os aristocratas de alvalade. É um paleio saloio, capaz de soar a música aos mais néscios adeptos da águia. Meus caros, em 2005 Sporting e Benfica são clubes populares, das massas, interclassistas e transversais. Lá porque nós estimamos os nossos jogadores e os conservamos no clube por longos anos, isso não faz deles "barões". Rui Jorge, Beto, Sá Pinto e Pedro Barbosa fazem muita falta à equipa. Não são os melhores do mundo, como qualquer benfiquista quando dá mais que três chutos seguidos na bola. Mas são de fiar. Mesmo que, como tantas vezes tem acontecido este ano, comecem muitos jogos no banco. Esta discussão ficará sem sentido daqui a duas semanas. No estádio da Luz.
publicado por Proletário às 09:49
link do post | comentar
Quarta-feira, 27 de Abril de 2005

email de pouco além de Liège

Nunca esta casa tinha recebido reclamações. Não fosse o teu mau-feitio, Proletário, e fraca capacidade analítica, e não recebias destas coisas. Toma lá:



Caga Sentenças

Tal como todo o bom analista da bola, o imediato é que interessa ao amigo Proletário. Mas acho piada... “Nos embates entre os três grandes para o campeonato, o Benfica ainda não ganhou um único jogo.”

Pois não. Empatou nas Antas (onde o Sporting levou 3), perdeu na Luz com o Porto mesmo com uma bola do Petit dentro da baliza. No outro jogo, perdeu justamente com o Sporting em Alvalade.
Ou seja, cada um dos grandes levou um banho de bola de um dos outros. Onde está a superioridade? O Sporting contra nove não conseguiu ganhar vantagem contra o Porto em caso de empate.

O Sporting “É, de muito longe, a equipa que fez as melhores exibições desta Superliga. “

Mas está a três pontos do primeiro lugar. Porquê?

E há outros caga sentenças que me irritam. Aqueles que dizem que o Benfica foi beneficiado contra o Estoril. E foi. Mas nenhum admite que os jogadores do Estoril usaram de uma violência típica de distrital. Que se calhar com um árbitro a sério estavam a ganhar 2-0 com o penalti roubado mas acabavam o jogo com 6 jogadores...

E falta uma coisita que é capaz de lhe prejudicar os planos. O Sporting e o Benfica são, neste momento, imagens fiéis da sua história e da sua tradição. O Sporting tem barões (Beto, Rui Jorge, Sá Pinto, Pedro Barbosa) e tem o resto. Se aguentarem até ao jogo da Luz com esperança do título pode ser que não se zanguem uns com os outro. Mas não é certo...

O Benfica, devido ao desaparecimento natural do seu barão em campo (Simão) é uma equipa operária. Sem classes. Em que o que manda mais é para aí o Luisão, que com aquele arzinho não liderava nem o clube lá da minha rua quanto mais o Benfica.

Por isso, o derby da Luz, mais que um jogo de futebol, vai ser um confronto de modelos de sociedade: A cotada em bolsa do SCP SAD contra os 6 milhões de couratos do Benfica.


A ver se desta o povo unido não é vencido...

Gil Eanes
publicado por Sérgio às 18:56
link do post | comentar

Pois devo

Já lhe conhecia de outra paragens esse tom de fidalgo que concede aos pobres de espírito a graça de discutir com sua excelência. É um estilo que não pega. Mas irrita.

Podíamos passar as próximas semanas a discutir os plantéis dos nossos clubes, e olhe que não falta matéria prima para abundante gargalhada no seu balneário. Tem muita razão na sua "La Passilada": os campeonatos ganham-se por pontos e as boas exibições não os dão. Mas essa frieza dos números há-de incomodá-lo daqui a duas semanas. Esse argumento de que os coitadinhos do Benfica, tão fraquinhos mas à frente do campeonato merecem um final à Robin Hood só me faz rir. Então os meninos que têm no banco o até há poucos meses maior empresário do futebol nacional não sabem ir à compras? Não ganharam vocês, com alarde e euforia o direito a jogar a pré-eliminatória da milionária Liga dos Campeões? Diga-me lá, estimado elefante, quem é o treinador mais bem pago da superliga?

Pois eu tenho espírito crítico para dizer que o ano passado não jogámos ponta de corno. Não registo na memória uma única exibição de jeito. Já este ano, os jogos contra o Feynoord, o Newcastle, o Benfica para a taça (mesmo tendo perdido) e o Boavista no Bessa mostram que há ali, de vez em quando, uma grande equipa. Suficiente para roubar a festa aos encarnados e fazê-lo abandonar esse tom de caga sentenças.
publicado por Proletário às 16:11
link do post | comentar

deves...

Queres tirar-me do modo 'Vogal de Direcção da Casa do Benfica de Liège' mas estás com pouca sorte. Essa do parecer das melhores exibições da época tem piada, que tem, mas é o vosso alimento vai para os tempos do António Oliveira. É que isto de um campeonato de futebol, bom ou mau, bem ou mal jogado, tem uma premissa que é simples e que vale para todos. A melhor equipa tem mais pontos que as outras e o prémio que lhe dão por esse feito é colocá-la no primeiro lugar.

Admito que o Sporting no ínicio das épocas, depois de decidir de que bons jogadores adolescentes se vai livrar, estabeleça um calendário de «embates decisivos» e explique aos seus jogadores da importância de vencer os ditos. Quanto ao resto, "o Sporting são vocês" já imagino a conversa com o Sá Pinto e com o Beto e com o Barbosa e com o Rui Jorge, "não se cansem, que a alma leonina é a vossa cara, pá, mas nos embates era importante". Também estou a ser injusto. O Sporting não é nenhuma máquina sem alma. Ainda este ano, nisto dos embates decisivos lembro-me assim de três (tirando todas as eliminatórias da Taça UEFA). O jogo da taça - arderam - e as duas, um par delas, uma depois outra, oportunidades que tiveram para se enfiarem no primeiro lugar. Mas diz que já ganharam ao Porto e ao Benfica. Pá, bonzito. Isto a juntar às «de muito longe» melhores exibições da liga e ao facto de terem a claque mais antiga de Portugal, dá-me ideia que é uma época em cheio.

Depois conforta-me que se destaque a importância dos gajos que marcam os golos. É um sinal de que posso estar descansado. Acho bem que os sportinguistas se assustem mais com uma ausência do Liedson numa segunda parte do que com um mês sem o Rochemback. Acho bem que acreditem que há um plantel equilibrado e que, ao contrário de outros, não há um jogador que tenha que jogar sempre sob pena de um quatro ou por aí fora a zero. Acho bem o Hugo.

Tino, mas é! Se há equipa que merece ganhar este campeonato é o Benfica. De longe a mais fraquinha e em primeiro lugar vai para não sei quanto tempo. Isto é titânico!

Ai, espera lá. E o Peseiro? Não falo no Peseiro?... Bom, é melhor não, senão ainda acabo por ter dúvidas do feito mais épico.
publicado por Sérgio às 15:16
link do post | comentar

Falemos então de bola dentro do relvado

O Benfica viveu esta época à custa da inspiração de Simão Sabrosa. Sintoma disso é o facto de ele – extremo esquerdo ou direito, conforme as conveniências – ser o melhor marcador da equipa, ultrapassando largamente os pontas de lança. Como todo o ser humano, o Simão não joga bem sempre. E isso nota-se. Veio agora o Mantorras marcar golos decisivos e servir de reforço moral à equipa. É bom, mas não chega para ganhar campeonatos. O Benfica é o maior beneficiado com a hecatombe do Porto e a irregularidade esquizofrénica do Sporting. Nos embates entre os três grandes para o campeonato, o Benfica ainda não ganhou um único jogo. Uma equipa que tem seis pontos de avanço sobre o segundo a seis jogos do fim e os desperdiça da forma displicente como o Benfica o fez não tem estaleca de campeão. O mesmo posso dizer do Sporting. É, de muito longe, a equipa que fez as melhores exibições desta Superliga. Tem jogadores para todas as posições, embora boa parte dos suplentes sejam muito mais fracos. Mas quando me sento para ver o Sporting a jogar nunca sei o que vai sair dali. Uma coisa é certa: tirando a derrota nas Antas e o inesquecível jogo para a taça na Luz, o Sporting tem estado sempre à altura dos embates decisivos. Por isso é que, mesmo com o Peseiro a atrapalhar, estou convencido de que ganharemos na Luz. Já aqui o disse que o título pode bem ir para Braga. E o Porto também não é de menosprezar. Se o campeão ficar na 2ª Circular, sei que não é no estádio vermelho. Chega-lhe de futebol?
publicado por Proletário às 11:31
link do post | comentar

Mete-te com o vogal da direcção, mete...

És muito menino. Falar de futebol é que, como habitualmente, nada.
publicado por Sérgio às 10:10
link do post | comentar

Pesquisar

coisos

Arquivos

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

blogs SAPO